Espanha - Indignados voltam a encher a Praça do Sol
 
Puseram-se em marcha vindos de todo o Estado Espanhol e ontem juntaram-se no local onde tudo começou. No sábado, milhares de pessoas voltaram a acampar na Praça do Sol, em Madrid, e continuam este domingo a discutir perspectivas de luta.
 

As marchas tiveram origem na Galiza, País Basco, Catalunha, Andaluzia, Extremadura, Valencia e Murcia e chegaram ao centro de Madrid ao início da noite de sábado. onde eram esperadas por muitos milhares de pessoas. Reuniu em seguida uma assembleia onde os marchantes puderam relatar a experiência dos últimos dias. Na Praça do Sol também foi prestada uma homenagem às vítimas do massacre na Noruega, com um minuto de silêncio em sua memória.

Este domingo é dia de reuniões para a maior parte dos participantes, que têm como objectivo definir estratégias de luta do movimento até ao outono. Estão já formados alguns grupos temáticos - análise, cidades, internacional, hacktivismo e comunicação - para partilhar as experiências das várias acampadas em todo o Estado Espanhol.

Os debates prosseguem na segunda-feira, sobre temas que vão do feminismo ao meio ambiente, ou da cultura à política de saúde, numa iniciativa que os organizadores já qualificam como "o primeiro fórum social do movimento 15-M".

O desemprego - que atingiu os 21% e no caso dos jovens é de 35% - é a principal causa da indignação dos participantes neste movimento. Mas a insatisfação com os políticos e os casos de corrupção, que têm centrado a atenção da sociedade nos últimos meses, também está no topo da agenda dos indignados, que criticam a ausência de representação dos cidadãos na política numa altura em que os políticos estão mais interessados em representar os interesses dos mercados financeiros.

Fonte: Esquerda net

 
 
ver todos os artigos