Merkel quer mais dinheiro para a banca
 
Nos últimos três anos, a Europa já injetou 4 biliões de euros nos bancos, diz Durão Barroso. Mas a chanceler alemã propõe agora um novo plano para recapitalizar os bancos europeus, recorrendo ao fundo criado para o resgate dos países em dificuldades.
 
Barroso e Merkel estão de acordo: é preciso transferir mais dinheiro dos contribuintes para os bancos europeus.
Barroso e Merkel estão de acordo: é preciso transferir mais dinheiro dos contribuintes para os bancos europeus. Foto PPE/Flickr

"Os países, como as empresas e as pessoas, não podem viver muito tempo acima das suas possibilidades", referiu Durão Barroso  à Euronews. Mas na mesma entrevista em que respondeu a perguntas colocadas por cidadãos, Barroso fez as contas ao dinheiro dos contribuintes europeus que os bancos sugaram desde a crise de 2008: quatro biliões de euros, dos quais 500 mil milhões em ajudas directas e o resto em garantias e outras ajudas.

Na reunião entre Barroso e Merkel, foi também discutida a possibilidade de fazer alterações ao Tratado de Lisboa. “Não devemos excluir a possibilidade de alterações ao Tratado. Queremos que o euro seja um sucesso e, por isso, temos de disponibilizar os meios para atingir esse sucesso”, afirmou Merkel.

Sobre um novo plano de ajuda financeira aos bancos, a chanceler alemã diz estar a "esgotar-se o tempo" para que ele possa avançar. Em entrevista à Euronews, Durão admitiu que o plano já está em marcha. “Propusemos aos Estados-membros para avançarem com uma acção coordenada para recapitalizarem os bancos e desembaraçarem-se de activos tóxicos”, disse Durão Barroso, numa entrevista realizada pela Euronews em que respondeu a questões colocadas por cidadãos, através do Youtube.

A resposta nas bolsas europeias não se fez esperar, com os bancos a registarem ganhos na sessão desta quinta-feira, um dia depois do FMI ter também sugerido a injecção de 100 a 200 mil milhões de euros nos principais bancos europeus.

 
 
ver todos os artigos