Alemanha ganha 9.000 milhões de euros com a crise da dívida
 
A subida das taxas de juro das dívidas dos países do Sul da Europa tem sido acompanhada, simultaneamente, pela descida das taxas de juro da dívida alemã. A Alemanha já teria lucrado nos últimos dois anos cerca de 9.000 milhões de euros.
 
Euros – Foto de aranjuez1404/Flickr
Euros – Foto de aranjuez1404/Flickr

Segundo as estimativas que o economista Carsten Brzeski do banco ING na Bélgica fez para o site euobserver.com, a Alemanha terá lucrado 9.000 milhões de euros com a crise das dívidas soberanas, que a par da subida das taxas de juro dos países mais endividados levou à descida das taxas de juro alemãs.

“Desde o início, a economia alemã foi uma das beneficiárias da crise das dívidas soberanas. De facto, o governo alemão pode financiar-se quase gratuitamente nos mercados”, declarou Carsten Brzeski ao euobserver.com.

O site fr.myeurop.info sublinha que, nomeadamente desde maio passado, nos mercados das dívidas soberanas está a funcionar uma espécie de fenómeno de “vasos comunicantes”: à medida que os “investidores” fogem da dívida grega e italiana (e, em certa medida da francesa) “compram massivamente” dívida alemã, levando à descida da taxa de juro desta.

Gráfico da evolução das taxas de juro de dívidas soberanas de alguns países da zona euro

Gráfico da evolução de taxas de juro de dívidas soberanas de alguns países europeus

Fonte:fr.myeurop.info, a partir de gráfico de COE - Rexecode

Carsten Brzesky assinala que os 9.000 milhões de euros é um montante superior aos novos benefícios fiscais (8.000) anunciados pelo governo alemão para 2013 e 2014, e conclui: “É quase como se os gregos financiassem a pequena reforma tributária alemã”.

 
 
ver todos os artigos