Ex-sindicalista fica milionário ao ocupar cargos estratégicos na Petrobras
 
Jales (SP) – Ex- dirigente do sindicato da Federação Única dos Petroleiros (FUP), o gerente de Recursos Humanos da Petrobras, Diego Hernandes, vive hoje, aos 51 anos, despreocupado com dinheiro e outras questões financeiras. Documentos obtidos pelo Estado de Minas e Correio Braziliense em vários cartórios de São Paulo e órgãos públicos daquele estado mostram que o patrimônio de Hernandes, que até o início da década tomava o trem superlotado para fazer piquetes na porta das refinarias no interior paulista, aumentou em cerca de 4.000% nos últimos seis anos. Fonte: jornal Correio Braziliense. Publicado em 13 de agosto de 2009/ Jornalista: Amaury Ribeiro Jr, autor do livro A Privataria Tucana
 
Fonte: jornal Correio Braziliense. Publicado em 13 de agosto de 2009 Jornalista: Amaury Ribeiro Jr, autor do livro A Privataria Tucana Jales (SP) – Ex- dirigente do sindicato da Federação Única dos Petroleiros (FUP), o gerente de Recursos Humanos da Petrobras, Diego Hernandes, vive hoje, aos 51 anos, despreocupado com dinheiro e outras questões financeiras. Documentos obtidos pelo Estado de Minas e Correio Braziliense em vários cartórios de São Paulo e órgãos públicos daquele estado mostram que o patrimônio de Hernandes, que até o início da década tomava o trem superlotado para fazer piquetes na porta das refinarias no interior paulista, aumentou em cerca de 4.000% nos últimos seis anos. De acordo com a papelada, desde 2003, quando passou a ocupar cargos estratégicos na estatal, Hernandes comprou 680 hectares de terras no município de Jales, Região Noroeste de São Paulo. Avaliadas pelos funcionários de cartórios e corretores da região pelo preço mínimo de R$ 11 milhões, as dezenas de propriedades rurais foram anexadas em uma única propriedade – a Fazenda São Lucas. Localizada a cerca de oito quilômetros de Jales, a propriedade é cortada estrategicamente pela Estrada do Boi, que liga a cidade a Araçatuba. Arrendada a usineiros da região, as terras do ex-sindicalista estão totalmente tomadas de canaviais, que se perdem de vista às margens da rodovia. A fúria imobiliária do ex-sindicalista – que após ocupar o cargo de chefe de gabinete do ex-presidente da Petrobras, Eduardo Dutra, mudou-se para um apartamento na Zona Sul do Rio – também se expandiu para a área urbana. Além de comprar três terrenos na Região Central de Jales, avaliados em R$ 150 mil cada um, Hernandes fundou em 2008, em companhia de um grupo de primos da região do ABC Paulista, uma empresa de equipamentos médicos – a Implalife Produtos Odontológicos. Construída em um terreno de 6 mil metros quadrados doados pela Prefeitura de Jales, administrada pelo PT, o prédio da empresa, decorado com vidros brilhantes em uma das principais avenidas do município, está avaliado em R$ 1 milhão. Hernandes teve ainda fôlego para investir R$ 300 mil na sede da Fazenda São Lucas e outros R$ 400 mil em vários fundos de renda fixa do Banco do Brasil. Basta uma conta simples para se chegar à conclusão de que o patrimônio de Hernandes chega hoje, no mínimo, a R$ 13 milhões. Esses valores estão distantes dos cerca de R$ 300 mil em bens que o sindicalista possuía em 2002 um ano antes de ocupar cargos estratégicos na empresa estatal. Na ocasião, o patrimônio de Hernandes se limitava a um apartamento na Vila Alpina e uma propriedade rural no município de Urânia, na Região Noroeste de São Paulo. A propriedade rural foi vendida nesse mesmo ano por R$ 100 mil. Embora tenha adquirido esse amontoado de imóveis urbanos e rurais, Hernandes declarou à Receita Federal no ano passado possuir um patrimônio de R$ 1,4 milhão. Um arsenal de documentos e depoimentos mostram que, a fim de esconder o patrimônio, o ex-sindicalista registra os imóveis urbanos e propriedade rural com valores bem abaixo dos de mercado. Além disso, Hernandes colocou parte das fazendas e imóveis urbanos em nome dos irmãos Walter Hernandes e Manoel Hernandes, pequenos sitiantes de Jales que até pouco tempo ganhavam a vida como camelôs na cidade. Todas as propriedades rurais e os terrenos urbanos de Manoel e Walter estão anexados às propriedades do irmão sindicalista.
 
 
ver todos os artigos