A LÍBIA, O MERCADO DE PETRÓLEO E O FANTASMA DO PEAK OIL
 
As recentes revoltas populares na Tunísia e no Egipto pouco afetaram o mercado de petróleo (a primeira nunca foi exportadora e o Egipto havia deixado de sê-lo pois o seu petróleo esgotara-se há vários anos). Mas o mesmo não se passa em relação à Líbia. A redução das exportações líbias (1,6 milhão de barris/dia) pode ter um impacto significativo. O fato de as empresas petrolíferas que operam na Líbia estarem a retirar o seu pessoal do país sugere que a redução poderá prolongar-se no tempo.
 

No imediato, os stocks armazenados na Europa asseguram o abastecimento. A questão crucial é se, após o consumo dos stocks existentes, haverá suficiente capacidade de reserva no resto do mundo para produzir o petróleo adicional necessário — por um período que pode durar semanas ou meses. Pode-se por um ponto de interrogação às declarações tranquilizadoras da OPEP. E falta saber se a Arábia Saudita tem toda a capacidade de reserva que diz ter e em que medida quer utilizá-la.

Em Julho de 2008 o preço do barril atingiu os US$147,27. Se algo semelhante acontecer outra vez é mais que certo um agravamento imediato da recessão mundial. O não reconhecimento do Pico Petrolífero pelos governos da UE e dos EUA tem efeitos perversos.

BARRIL DE PETRÓLEO A QUASE US$120
Dia 24 de Fevereiro o preço do Brent , a referência europeia, chegou a atingir quase US$120 .

OPEP REDUZ EXPORTAÇÕES
As exportações da OPEP caíram 2% no mês de Dezembro, anuncia agora a Bloomberg . Nesse mês, as exportações da Arábia Saudita – o maior produtor mundial – diminuíram 4,9%. O total exportado pela OPEP (excluindo Argélia e Emirados) caiu em 387 mil barris/dia (para 19,4 milhões de barris/dia). Neste momento, a cotação de referência (Brent) continua nos três algarismos.
Governos que sabem do Pico Petrolífero e nada fazem são criminosos. Isto é o equivalente, em termos de Código da Estrada, ao crime de omissão de socorro capitulado no Código Penal. A afirmação é verdadeira para o governo Sócrates.


ARÁBIA SAUDITA ATINGIU O PICO, CONFIRMA A WIKILEAKS
A Arábia Saudita não dispõe de suficientes reservas de petróleo para aumentar a sua produção , diz telegrama da Embaixada dos EUA em Riad revelado pela WikiLeaks. Este documento é apenas a confirmação daquilo que já se sabia há vários anos e que foi amplamente analisado pelo falecido banqueiro Matthew Simmons , dando origem ao seu livro Crepúsculo no deserto (Twilight in the Desert) . A fuga deste telegrama de Riad serve no entanto para confirmar que as autoridades dos EUA: 1) sabem muito bem que o mundo atingiu o Pico Petrolífero e que entramos agora na fase do declínio da produção; 2) adoptam uma política deliberada de silenciamento quanto a este problema crucial para os destinos humanos.

 
 
ver todos os artigos