ATTAC Espanha propõe nacionalização da Telefonica, face à ameaça de 6.000 desempregados
 
A companhia espanhola Telefónica divulgou que em 2010 teve 10.167 milhões de euros de lucros, decidiu entregar prémios no valor de 450 milhões de euros a cargos de direção e anunciou a intenção de despedir mais de 6.000 trabalhadores. Publicado em attac.es
 
 

Face à ameaça de despedimento para 20% do total de trabalhadores que a Telefónica emprega em Espanha, a organização ATTAC de Espanha decidiu propor a nacionalização da empresa, que até há pouco tempo era pública. É o seguinte o texto do comunicado da organização:

“Perante o anúncio feito pela companhia Telefónica da intenção de despedir 20% dos trabalhadores que emprega em Espanha depois de ter ganho 10.167 milhões de euros em 2010, ATTAC Espanha propõe ao Governo e ao Parlamento espanhóis o seguinte:

1. Que procedam imediatamente à tomada das medidas necessárias para nacionalizar esta companhia que era, até pouco tempo, propriedade de toda a cidadania do Estado Espanhol, para salvaguardar o interesse público e o bem geral, evitando que o dinheiro e o esforço acumulados durante muitos anos por milhões dos nossos concidadãos e concidadãs sejam dados como lucro a uma minoria de proprietários e directores escandalosamente bem pagos, enquanto que se deterioram continuamente os serviços que a empresa presta e para cúmulo se propõem destruir 6.000 empregos.

2. Que se crie uma comissão independente de investigação para se conhecer com total transparência as condições em que se levou a cabo o processo de privatização das empresas estatais espanholas que foram para mãos privadas.

3. Que essa comissão estude e proponha aos poderes públicos as fórmulas possíveis para devolver à propriedade nacional as grandes empresas de valor estratégico que foram privatizadas, para que o Estado volte a ser dono dos meios essenciais dos quais a nossa economia e a nossa sociedade dependem para a recuperação da actividade e do emprego.

Ao mesmo tempo, a ATTAC Espanha denuncia a irresponsabilidade de Rodriguez Zapatero e do seu Governo que para fazer frente à crise reuniu há umas semanas com os proprietários de empresas e bancos os quais, como a Telefónica, são na realidade os causadores da crise e das maiores perdas de postos de trabalho que se deram na nossa economia.

Finalmente, a ATTAC Espanha apela a que esta iniciativa seja apoiada por todas as pessoas, partidos, organizações, movimentos ou grupos sociais de qualquer tipo interessados em salvar o interesse geral e interessados em lutar para que a crise seja paga por aqueles que a provocaram.

A ATTAC Espanha iniciará diversas campanhas, face a esta actuação e denunciará de acordo com as suas possibilidades as novas privatizações previstas, apelando à cidadania em geral para que se posicione face a elas e perante as perdas do património que pertence a todas e todos e que não é dos seus gestores temporários”.

Publicado em attac.es

Tradução de Carlos Santos para esquerda.net

 
 
ver todos os artigos