Milhares de manifestantes ocupam o centro de Madrid
 
Milhares de pessoas reuniram-se esta terça-feira na Puerta del Sol, em Madrid, em protesto contra as medidas de austeridade. Os manifestantes pretendem ocupar as ruas até ao próximo dia 22 de Maio.
 

Mais de 10 mil pessoas, de várias idades, responderam ontem ao apelo e concentraram-se na Puerta del Sol, em Madrid, em protesto contra a crise económica e as políticas anti-sociais implementadas pelo governo espanhol. Segundo noticia o El Mundo, às duas da madrugada, permaneciam no local mais de 2000 pessoas. O objectivo é manter este acampamento improvisado até 22 de Maio, dia das eleições autónomas e municipais.

 Segundo noticia o El Pais, foi estabelecida uma rede de voluntários de forma a apoiar os manifestantes. Foram criadas cinco comissões: alimentação, comunicação, infra-estrutura e actividades, e aconselhamento jurídico.

 Mais de 300 polícias cercaram a Praça e controlam as artérias adjacentes.

 Em Granada, três pessoas foram detidas após a polícia ter dispersado os manifestantes que se preparavam para pernoitar no Paseo del Sálon. Os detidos são acusados de “resistência à autoridade”, acusação que negam. Durante a noite de hoje, os manifestantes voltarão a concentrar-se em Granada, na Plaza del Carmen. Para Sevilha está marcada uma concentração de duração indefinida a partir de quinta-feira.

 No domingo, 18 pessoas foram presas durante os protestos convocados para mais de 50 cidades espanholas. Na segunda-feira, a polícia espanhola prendeu mais um manifestante que se preparava para acampar na Puerta del Sol, em Madrid. Cinco pessoas, menores de idade, continuam detidas, segundo divulga o El Pais.   

 Os representantes da Plataforma Democracia Real ya!, que convocou os protestos do passado domingo, dia 15 de Maio, afirmam que, neste momento, são os próprios cidadãos que organizam estas acções.

Fonte: Esquerda.net

 
 
ver todos os artigos