'Rating' de Itália rebaixado
Standard & Poor’s reduz a classificação da Itália de A+ para A e ameaça fazer nova redução. Bancos italianos e franceses caem nas bolsas, apontando a possibilidade de a França ser “a próxima vítima”. Plano de austeridade não "acalmou os mercados". Foto de Adriano Lima

A agência de notação financeira Standard & Poor’s reduziu a classificação da Itália, de A+ para A, mantendo a ameaça de efectuar mais cortes.

A agência 'rating' argumenta com o abrandamento da economia e a fragilidade do governo, que, no seu entender, ameaçam o objectivo de redução da dívida pública, actualmente a segunda mais elevada na Zona Euro (119% do Produto Interno Bruto), apenas atrás da Grécia.

“O corte reflecte as previsões de crescimento económico fracas e a nossa opinião de que a coligação governamental frágil da Itália e as divergências políticas no Parlamento vão continuar a limitar a capacidade governamental de responder decisivamente aos desafios macroeconómicos internos e externos”, diz a nota da S&P.

A redução da notação financeira da dívida da Itália acontece depois de Berlusconi ter feito aprovar um plano de austeridade de 54 mil milhões de euros, numa tentativa, até ao momento sem sucesso, de travar a escalada dos juros da dívida no mercado secundário.

Governo italiano critica

O Governo italiano criticou a decisão da Standard & Poor's, considerando que a avaliação foi "falseada por considerações políticas" e baseada mais nas opiniões dos média do que na realidade.

"As avaliações da Standard & Poor's parecem mais ditadas pelos artigos dos jornais diários do que pela realidade das coisas e aparecem falseadas por considerações políticas", referiu o governo de Sílvio Berlusconi em comunicado divulgado esta terça-feira

"Vale a pena recordar que a Itália adoptou medidas que visam atingir o equilíbrio orçamental em 2013 e que o governo prepara medidas de apoio ao crescimento cujos frutos se verão a curto e médio prazo", sublinha a nota.

França, a próxima vítima?

A banca italiana e francesa estão a registar fortes perdas esta terça-feira devido ao rebaixamento do 'rating' da Itália. Os investidores receiam que a França seja o próximo alvo de corte da agência de notação financeira, o que leva à queda das acções dos bancos franceses. O banco francês Société Générale é o que mais perde, acumulando uma queda de 3,14%. Segue-se o também francês BNP Paribas, soma uma perda de 2,7% para 25,93 euros.

 
 
ver todos os editoriais