Juiz anula sessão secreta da CPI do Derosso
O juiz da 5ª Vara de Fazenda Pública de Curitiba, Marcos Vinícius da Rocha Loures Demchuk, concedeu liminar, no início da noite desta segunda-feira (10), anulando os efeitos da reunião fechada da CPI do caso Derosso do último dia 28 de setembro, que ouviu os integrantes da comissão de licitações da Câmara Municipal de Curitiba sobre os contratos de publicidade da Casa. O juiz determinou que, assim que notificado, o presidente da CPI, vereador Emerson Prado (PSDB) marque uma nova reunião, aberta, para fazer as oitivas. Fonte: O Estado do Paraná. João Cláudio Derosso. Foto: Denis Ferreira Neto.

A liminar é consequência de Mandado de Segurança proposto pelos vereadores Pedro Paulo (PT) e Paulo Salamuni (PV) que, na ocasião, deixaram a reunião por discordarem do fechamento da sessão ao público e á imprensa, exigência dos depoentes para comparecerem á reunião. Pedro Paulo alegou que o fechamento da reunião era uma exceção prevista no regimento da CPI, desnecessária para se ouvir funcionários da Casa.

Nesta segunda-feira, os vereadores da CPI ouviram o ex-diretor administrativo da Câmara na época dos contratos, Relindo Schlegel, que depôs acompanhado de um médico por questões de saúde. Relindo deu mais detalhes sobre o funcionamento das licitações na Câmara e a gestão dos contratos.

 
 
ver todos os editoriais