Caos na Segurança Pública do Paraná: Advogada negra é agredida em ação violenta da PM do Paraná; veja o vídeo
Em menos de uma semana, essa é a terceira vez que a PM usa da violência contra cidadãos paranaenses. Na última quinta-feira (23), policiais militares entraram em confronto com trabalhadores em greve na Copel (a estatal e de energia) e, na noite do mesmo dia, reprimiram estudantes universitários que comemoravam o encerramento do ano letivo em Toledo, no Oeste e também uma torcedora foi violentamente agredida por um policial. Finalmente, o Secretário de Segurança Pública não comparece a reunião dos Conselhos de Segurança (Consegs)de Curitiba, causando indignação aos moradores que sentem na pele o caos da Segurança Pública no Paraná. Fonte Blog do Esmael e Dra. Clair, presidente do Conseg Mercês.
Em emocionante depoimento, a advogada Andréia Cândida Vitor relata como foi submetida a sessões de torturas físicas e psicológicas. Os agressores são policias militares, que a prenderam. Segundo a advogada, que é negra, ela foi agredida porque presenciou a truculência da PM paranaense, em rua perto de sua casa, que teria desrespeitado os direitos de idosos, deficientes, crianças e adolescentes. (Ver vídeo) O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PR), Juliano Breda, disse ao blog que “a entidade prestará toda assistência jurídica necessária à advogada, diante desse gravíssimo episódio e exigirá das autoridades a firme responsabilização dos envolvidos”. Em menos de uma semana, essa é a terceira vez que a PM usa da violência contra cidadãos paranaenses. Na última quinta-feira (23), policiais militares entraram em confronto com trabalhadores em greve na Copel (a estatal e de energia) e, na noite do mesmo dia, reprimiram estudantes universitários que comemoravam o encerramento do ano letivo em Toledo, no Oeste. Fonte: Blog do Esmael INDIGNAÇÃO - SECRETÁRIO de SEGURANÇA NÃO COMPARECE À REUNIÃO DOS CONSEGS/PR- CONVOCADA PELO MESMO PARA TRATAR DE SEGURANÇA. Os moradores das Mercês, após inúmeros pedidos de audiência com o Secretário de Segurança Pública e com o Governador, foram convocados para uma reunião de todos os Consegs com o Secretário para tratar de Segurança. Lá, o Secretário não compareceu, mandando representante. Em que pese o respeito que temos ao Diretor da Secretaria, aos Comandos da Polícia Militar e Civil, entendemos que foi uma falta de respeito com os CONSEGS que representam os moradores e empresários e toda população que exigem Segurança. O que deveria ser um espaço para tratar dos problemas vivenciados pela população, com sugestões para o enfrentamento dos problemas, resumiu-se a duas horas de explanação por parte das "autoridades". Depois, abriu-se para perguntas por escrito aos representantes dos CONSEGS. E a segurança preventiva ou as patrulhas móveis que haviam sido prometidas para começo de outubro, agora dizem que serão implantadas a partir de março. O que dirão em Março? Enquanto isso os assaltos continuam. A população fica refém dos bandidos. Os veículos e o patrimônio são roubados. As residências ficam vulneráveis. A vida dos cidadãos está em jogo. E isso não só acontece com o nosso bairro: há outros que estão em situação pior. Esta é a importância e a reposta que o Governador e o Secretário dão à Segurança e à população? Estamos indignados e conclamam todos a protestar! Clair da Flora Martins - presidente AMOEM e CONSEG das Merces
 
 
ver todos os editoriais