Ato de protesto dia 14 contra poluição dos rios em Curitiba
Por Mário Milani* - A criação da \"Janela do Rio\" pela Associação Guanabara é um olhar severo, uma ação prática de protesto contra a poluição de dezenas de fontes que nascem na bacia hidrográfica dos rios Água Verde e Guaíra, em Curitiba.
O rio Água Verde nasce perto da avenida República Argentina, a altura do Supermercado Angeloni, e deságua no rio Guaíra, no final da rua D. Pedro; este por sua vez, tem suas nascentes embaixo do shopping Água Verde e corta todo o bairro praticamente canalizado, desembocando no rio Belém, que deságua no Iguaçu. Águas que são estancadas na captação da Sanepar e são servidas nos lares curitibanos a preço de ouro. Para aqueles que nasceram e cresceram pescando lambaris, sentir os rios produzindo diariamente um mau cheiro infernal tem culpados: as autoridades públicas.
hspace='10'

Primeiro, a ineficiência dos fiscais da prefeitura que fazem "vistas grossas" para construções ilegais e canalizações criminosas. Segundo, a Sanepar que cobra do morador  para coletar e tratar mas despeja nos rios esgoto doméstico in natura. Crime. O Guaíra e o Água Verde foram criminosamente canalizados em sua maior parte. Perderam a beleza; perderam a vida.

O sofrimento do Água Verde e do Guaíra, do Belém e de todos os outros rios que cortam Curitiba, é o mesmo: o esgoto. Quase 20% dos imóveis localizados na bacia do Belém  algo próximo das 25 mil residências  jogam o esgoto no rio. Não bastasse o esgoto, as preocupações dos ambientalistas se voltam para um novo tipo de poluição: a poluição difusa. São pedaços minúsculos de borracha dos pneus dos carros, folhas de árvores, pó de asfalto, fezes de animais, bitucas de cigarro, papeis de bala, garrafas de água, areia e terra, levados pelas enxurradas, que vão parar nos rios.

Para limpar essa sujeira toda  do esgoto à poluição difusa  a estimativa é que se gaste em torno de 4% do orçamento da Secretaria do Meio Ambiente, que, por sua vez representam menos de 5% do orçamento da capital.

A comunidade do bairro Água Verde tomou a iniciativa de abrir a “Janela do Rio” para justamente alertar as autoridades sobre o grave problema da poluição dos nossos rios. A sociedade local quer de volta a água limpa, sem odor, sem lixo, sem esgoto. É uma ação que diz respeito a todos e beneficia as gerações futuras, sobretudo aqueles que moram na cidade. Poucos percebem que recebemos em nossas torneiras águas tratadas na estação da Sanepar que nascem límpidas em fontes naturais,  mas que se misturam ao esgoto doméstico e industrial e voltam às nossas casas com dezenas de produtos químicos. Já pensou nisso?

Mario Milani é editor-chefe da revista “Bem Público” e presidente pró-tempore da Associação Guanabara (Associação dos Comerciantes, Moradores e Amigos da Microbacia dos Rios Água Verde e Guaíra)

Serviço
Inauguração da Janela do Rio
Nas esquinas das ruas Amazonas, Rio de Janeiro e D. Pedro, no Bairro Água Verde
Dia 14/12, às 12h
Informações
(41) 9936-3637

 
 
ver todos os editoriais